sábado, 14 de setembro de 2013

Disturbios de aprendizagem

Apesar da grande dificuldade em expressar um conceito de normal, problema ou distúrbio, sabemos que através de estudos e experimentações muito profissionais foram construindo esses conceitos a partir da observação de crianças, adolescentes, jovens e adultos em diferentes fases de aprendizagem.
Hoje para cada estágio de vida existe um comportamento esperado e dito normal para o indivíduo. Entretanto existe uma grande diversidade no comportamento, que nos leva a compreender que embora uma criança não apresente um comportamento esperado como normal, não podemos dizer que efetivamente ela seja “anormal”.
Claro que não estamos aqui generalizando o assunto, pois existem comportamento que estão em total desalinhamento com os padrões e que causam dificuldade na socialização do indivíduo, impede sua aprendizagem e interação com o meio. Assim podemos classificar como um distúrbio.
Ao longo das aulas da disciplina, discutimos quais os problemas que podem dificultar a aprendizagem da criança e que causa sérios danos no aspecto de relacionamento dessa criança com seu meio. Esses problemas, embora caracterizem distúrbios, não impedem que o indivíduo leve uma vida relativamente normal e que consiga a seu tempo e limitações aprender e  avançar na aprendizagem.
Para isso é necessário o conjunto de profissionais (médicos, pedagogos, psicólogos, psicopedagogos, professores, fonoaudiólogos). Esses profissionais atuarão no diagnóstico e intervenções necessários para aliviar os efeitos dos distúrbios apresentados.
Não podemos esquecer o papel importante da família e da escola, atuando no emocional e no cognitivo, dando segurança e estímulo para que um indivíduo que apresente distúrbios consiga vencer, pelo menos em parte, sua limitações e consiga avançar em seu processo de aprendizagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário